Bem vinda maturidade.

Pensei que nunca
 
te encontraria, mas você veio.
 
Vamos conversar um pouco.
 
Conte me, o que trazes para mim?
 
Algo diferente deste cansaço que turva minhas vistas?
 
Deste peso que me entorta as costas? Desta coleção de saudades e distâncias?!?
 
Será que trazes a calmaria e algumas certezas que meu espírito desde juvenil anseia?
 
Me convença de que devo desativar "expectativas vãs" que antes norteavam meus caminhos.
 
Mas, antes me dê subsidio para preencher os dias com algo maior do que essas horas lentas e essa cruel ausência do que antes havia.
 
Não me deixes cair na tentação de acreditar no ócio e no fácil.
 
Livrai me de tudo aquilo que azeda a boca e a vida. Inclusive das criaturas e da malidicência que não tem cura.
 
Dê me discernimento para perceber quando devo ir e quando devo parar.
 
Mas, nunca pare a minha precipitação em querer ajudar. Meus impulsos de sempre acreditar na "bondade" em primeiro lugar.
 
Agradeço a gentileza de ter me conduzido pelo mundo afora e ainda me trazido de volta nas voltas que a vida deu.
 
Agradeço pelo movimento que permeou meu destino por paixões extra-curriculares e por rimas compostas por pessoas,
lugares e alegrias impossíveis de serem apagadas.
 
Se puderes, peço que seja paciente e bondosa até que eu saiba te assimilar, como se fosse meu par neste caminhar.
 
 
Peço que me conceda tempo para apreciar e para perceber que o que me resta é um tempo raro para "Estar e Ser."